Conclusões e desafios

Atualizado: 8 de jul. de 2021


Neste verso há quatro mandamentos e uma promessa:

– Parar … Pare no nosso caminho, STOP

– Olhar … Avaliar, revisar.

– Perguntar sobre os caminhos antigos … no caminho certo. Algumas versões traduzem caminhos antigos como caminhos eternos. É que os caminhos marcados por Deus são eternos.

– Andar por ele. É um caminho, não simplesmente uma experiência pontual.

A promessa: Você encontrará descanso para suas almas. Que promessa!

Lembro-me do testemunho do pastor Pierre Truschel, de Grenoble, França. Quando estava em Buenos Aires (em 2001), ele nos disse: “Como pastor pentecostal, durante 30 anos trabalhei como jumento para Deus; Até que eu estava em um hospital, entendi que a questão não era trabalhar para Deus, mas trabalhando com Deus.

Amados irmãos, companheiros servidores, pastores, precisamos retornar às bases, aos nossos primórdios, aos antigos caminhos. Uma outra versão do Biblia diz: “Retornar ao ponto de partida”.

  1. Precisamos retornar à APOSENTO ALTO,

Ao Pentecostes, à plenitude do Espírito, ao sopro do Espírito. Precisamos voltar para a casa Luciano e Paula (metaforicamente falando), a liberdade do Espírito, para nos encantar com o Senhor, ficar maravilhadosde sua presença, ter batismos do Espírito cada semana do Espírito, adoração livre e espontânea. Precisamos voltar ao rio de Deus.

Precisamos voltar para Deus para ter uma evangelização forte, libertação dos oprimidos, curas, milagres, os dons do Espírito.

  1. Precisamos voltar à REVELAÇÃO

Precisamos voltar ao evangelho do reino, o senhorio de Cristo como uma condição de salvação, para a conversão radical à ordem de Cristo para fazer discípulos, para a unidade da igreja, o propósito eterno de Deus, o kerigma e adidaké dos apóstolos, à indissolubilidade do casamento. Precisamos retornar à visão de uma única igreja, gloriosa, santa e numerosa; a uma igreja funcionando com os quatro ministérios de Efésios 4 e operando nos nove dons do Espírito. Devemos retornar às verdades que Deus nos revelou.

  1. Precisamos refrescar e renovar a VISÃO DE DEUS,

Eexpressa-lo com simplicidade, convicção e clareza, até que todos os irmãos saibam, acreditam e compartilhar com os outros: Deus quer ter uma família de muitos filhos, como Jesus.

(Como método pedagógico usamos acrônimos, de modo que com uma única palavra os discípulos pudessem esclarecer toda a visão).

U.M.E.F.

(São as siglas de …)

– Unidade = uma única família

– Multiplicação = de muitos filhos

– Edifício = semelhantes a Jesus

– Formação de obreiros.

V.O.R.E.A

– Visão

– Oração

– Relacionamentos firmes

– Estratégia

– Ação

OS CINCO OBJETIVOS DE DEUS:

1) Que todos os homens sejam salvos, que sejam discípulos de Jesus

2) Que cada discípulo seja como Jesus

3) Que todos os discípulos formam uma única família

4) Que a comunidade de discípulos como sal e luz sejam fatores de transformação das nações

5) Esses quatro objetivos apontam para o objetivo final: o louvor da glória de Deus.

  1. Precisamos retornar à AÇÃO no poder do Espírito Santo

Eu digo da maneira mais simples possível. A ação da igreja pode ser resumida com cinco palavras: Evangelizar. Fazer discípulos. Discipular.Formar obreiros.Plantar igrejas.

(1)   EVANGELIZAR: (Isto é semear). Para isso, o sacerdócio de todos os crentes é fundamental; que cada um tem sua lista de oração com o nome de cerca de dez ou vinte pessoas que ele propõe evangelizar.

Irmão Eddy Leo visitou-nos da Indonésia para dizer as mesmas verdades que Deus tinha revelado a nós, mas sublinhou, e bem, o novo discípulo desde o primeiro dia de sua conversão deve saber que Cristo chama-lo para ser um pescador de homens.

(2)  FAZER DISCÍPULOS: (Isto é colheita). Entre aqueles que evangelizam, alguns respondem à palavra. Para tal, devemos guiá-los a se arrepender, crer e confessar Jesus como Senhor, confessando os seus pecados, libertação, cura interior, o batismo nas águas, o batismo do Espírito.

(3)  DISCIPULAR: (Isto é ensinar, edificar). Para isso, o novo discípulo precisa ter um discipulador com um programa de ensino. Materiais como “Caminhando com Jesus”/ “Porta, Caminho e Meta”,  são ferramentas muito úteis. É necessário adaptar esses materiais ao nível dos discípulos. Se as pessoas com pouco estudo ou filhos, etc. É importante que cada discípulo seja discipulado de uma maneira pessoal, incluindo crianças, adolescentes, jovens; e até nossos próprios filhos ou netos.

(4)  FORMAR OBREIROS: A maioria de nossos pastores apontou como uma dificuldade a falta de obreiros. Quando Jesus começou seu ministério, ele era o único trabalhador.Primeiros ele chamou a quatro, depois doze e depois outros setenta. Ele teve o cuidado de treiná-los como obreiros.

Como fiz? Desde o primeiro dia, ele lhes disse que os tornaria “pesadores de homens”. Sua maneira de treiná-los estava no mesmo campo, quando ele disse: “Siga-me”. Hoje diríamos: “Venha comigo”. O melhor treinamento é para os discípulos verem como pregamos, ensinamos, curamos, expulsamos demônios, etc. Então ele acrescentou seus ensinamentos e instruções àqueles que eram trabalhadores.

Outra chave é que ele enviou dois de cada vez, ambos aos doze e setenta. E uma última coisa que gostaria de salientar é a supervisão que ele fez. Pediu relatórios, perguntou-lhes, encorajou-os, corrigiu-os e enviou-os novamente.

(5)  PLANTAR COMUNIDADES DE DISCÍPULSO. Uma comunidade de discípulos em novos bairros e localidades, na nossa região, no nosso país e no mundo. Este tema é o que recebemos com um forte impacto de Deus através do nosso irmão da Tailândia, Pitsanunart. Nosso PROJETO é: PLANTAR UMA COMUNIDADE DE DISCÍPULOS EM CADA LOCALIDADE.

  1. Precisamos usar os RECURSOS que temos

  2. RECURSOS ESPIRITUAIS

A oração: pessoal, de dois, grupo, congregacional.

– Oração e jejum com objetivos definidos: clamando por ousadia e milagres (Atos 4).

– Orar por obreiros (Mat.9.36-37).

– Por situações específicas de pessoas, famílias, por aqueles que estão na lista de orações.

– Por novos bairros, novas cidades, novos países.

A Palavra:O evangelho do reino, o Kerigma e o Didaké

O Espírito SantoNos dá poder, ousadia, autoridade, unção, fé, dons, visões, revelações, palavras específicas, etc.

  1. RECURSOS PESSOAIS

– Disposição = vontade

– Disponibilidade = Dispor tempo. Nosso tempo é um segmento da nossa vida. Planejamento.

Vivemos em uma sociedade que continuamente nos oferece muitas ofertas de entretenimento e lazer, e não me refiro a coisas pecaminosas. Por exemplo: Um carro O Km, passeios, viagens, uma TV de plasma, Neflix, Ipad, telefones celulares, Internet, refeições, eventos esportivos, informativos, passeios, etc. Não há nada de errado com tudo isso, mas a questão é que ele invade cada vez mais nosso pouco tempo livre e não temos tempo para estar envolvidos na obra do Senhor.Isso nos deixa sem disponibilidade. A vida egocêntrica, tudo para mim, para meu deleite e prazer, não é proprio para um discípulo de Cristo. Um tempo prudente é bom, mas deve haver equilíbrio. O aspecto prático pode ser resolvido com uma agenda. Mas o mais importante é o aspecto espiritual. Jesus disse: negue-se, tome sua cruz e siga-me.

Jesus se esvaziou, ele ficou cheio do Pai. Precisamos nos esvaziar e sermos cheios de Cristo. Assim, sentiremos o que ele sente, pensaremos como ele, e faremos o que ele quer fazer em favor dos perdidos. Só ele pode fazer essa transformação em cada um de nós.

  1. 6Precisamos focar na OBRA.

Ter uma estrutura funcional focado na OBRA.

A estrutura é uma coisa boa e necessária. Sem estrutura, um grande edifício não é suportado. A estrutura desempenha um papel importante.

Existem dois tipos de estruturas: estáticas (como colunas e vigas que suportam um edifício) e estruturas vivas, como as de uma árvore.

Uma árvore grande tem raízes, tronco, galhos principais, galhos menores e galhos. Sua estrutura cresce de acordo com o desenvolvimento da árvore. Sua finalidade é que cada galho, ramo, folha, flor ou fruto receba a seiva que vem das raízes.

O corpo humano tem uma estrutura óssea. Sem ela, o corpo seria uma massa disforme. Nós não podíamos andar ou trabalhar.

A igreja é um corpo. O corpo tem vida, tem uma cabeça, tem membros, todos em seu devido lugar. Os membros estão unidos por juntas e ligamentos. Cada membro tem uma função. No corpo existem diferentes graus de responsabilidade. Há apóstolos, profetas, evangelistas, pastores-mestres, diáconos, cooperadores, discipuladores, grupos pequenos nas casas, etc.

Todos os encontros em todos os níveis de função e responsabilidade devem ter um único foco, que podemos definir com uma palavra: A OBRA.

Podemos expressar isso com outra frase: COMO ESTÁ PROGREDIENDO A OBRA.

A igreja é uma OBRA EM CONSTRUÇÃO. Em uma obra em construção sempre estão chegando novos materiais: Tijolos, areia, cimento, cal, ferro, madeira, etc..

Qual é A OBRA? Consiste em evangelizar, fazer discípulos, discipular, formar obreiros e plantar a igreja em novos lugares.

Nos termos do N.T. esta é a construção da igreja, em qualidade, quantidade e unidade.

A igreja é uma grande obra em construção. Jesus Cristo está vivo, e ele prometeu EDIFICAR sua igreja (Mateus 16:18). Para isso, ele constituiu apóstolos, profetas, evangelistas e pastores-mestres; para treinar os santos para aOBRA do ministério para a edificação do corpo de Cristo, esta é a igreja. (Efésios 4,11-16).

O Espírito Santo disse ao presbitério de Antioquia: “Separa-me Barnabé e Saulo para a OBRA ao qual eu os chamei”.

O que eles fizeram quando foram embora? Eles evangelizaram, fizeram discípulos, discipularam, formaram obreiros.

A igreja é o edifício e ao mesmo tempo a empresa de construção.

Todos os santos são obreiros nestaOBRAem construção. Todos estão envolvidos. Todos devem ser treinados, todos unidos ao corpo com juntas e ligamentos em um lugar específico, todos devem funcionar.

Tomemos o exemplo de uma construtora que conseguiu a licitação para construir uma rodovia de 300 km.  A OBRA tem um presidente (Jesus Cristo); vários gerentes gerais (os apóstolos), chefes de áreas (os pastores); chefes de seções (líderes de grupo) e trabalhadores (os discípulos).

Há reuniões de cada um desses níveis com seus níveis maiores e menores. Mas todas as reuniões em todos os níveis apontam para o mesmo objetivo: A REALIZAÇÃODA OBRA.

As primeiras reuniões são para apresentar os planos, dar as instruções, s especificações, todos os detalhes. Principalmente aos gerentes e chefes dos diferentes departamentos. Todos bem coordenados.

Nas reuniões seguintes há relatórios, perguntas, dificuldades são apresentadas, soluções são fornecidas, etc. Não são reuniões sociais, são reuniões de trabalho. Isso é SUPERVISION (Feed Back). Isso é vital, essencial para a realização dos objetivos e o desenvolvimento do trabalho.

Os gerentes se encontram com os responsáveis de cada seção para comunicar o que precisa ser feito e como fazê-lo. É uma comunicação constante para com os níveis superiores e inferiores.

No caso da edificação da igreja, obviamente há coisas que não se aplicam, mas esse exemplo pode nos ajudar muito a melhorar nosso funcionamento.

Sempre que ele me surpreendeu a reprovação de Jesus, dizendo aos seus discípulos: “Os filhos deste mundo são mais astutos no trato com a sua geração do que os filhos da luz” (Lc 16,8).

Quando, em 1993, fomos primeiro a Armênia, Armen Milton Papa e Hayetian, um sábado, participou de uma reunião de dois bispos com líderes de grupos de escolha. Depois de orar intensamente por uma ora e meia sem parar, começaram a receber relatórios de cada um dos 30 ou 40 líderes dos grupos familiares. Ficamos surpresos ao ver a supervisão, as instruções, as correções e o tratamento de casos difíceis que eles apresentaram. Quando saímos, Armen Hayetian, um engenheiro que ocupava um cargo executivo sênior na Esso, em Buenos Aires, nos disse: Essas pessoas simples têm a mesma dinâmica de operação que os principais executivos do Ocidente.

Eu me lembro que em nossos melhores tempos de crescimento, nossas reuniões de trabalho com Ivan eram muito semelhantes.

Cada encontro de oração, de ensino, de planejamento, tem que estar focado na OBRA. Todos focados no mesmo.

  1. Precisamos retornar ao primeiro amor (A MOTIVAÇÃO)

Simão Pedro, frustrado, desmotivado, malsucedido, desiludido de se mesmo, mesmo tendo visto Jesus ressuscitado várias vezes, disse aos seus companheiros: “Amigos, eu vou pescar, vou voltar ao meu antigo emprego”.

Como Jesus resgatou a Pedro? Com apenas uma pergunta: você me ama?

Em Apocalipse, Jesus diz à igreja em Éfeso: “Você deixou o seu primeiro amor” “Arrependa-se e faça as primeiras obras”.

O arrependimento não consiste em chorar, mas em uma mudança de atitude. Amar não depende de sentimentos; Depende de uma decisão: faça as primeiras obras por amor a Jesus.

Quem pode colocar isso em nós e nos irmãos de nossas congregações? Só Deus. Vamos fazer nossa pequena parte, vamos voltar às primeirasobras. E Deus fará sua grande parte: Ele nos transformará em uma igreja próspera e gloriosa. Amém.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo